Skip to content
06/09/2012 / Geane Aguiar

Caros leitores,

No momento o blog se encontra parado. Espero voltar em breve.

Abraços.

Anúncios
17/07/2012 / Geane Aguiar

Esfumace meus temores, desalinhe meus erros. Sua vontade se forma a partir de mim e se silencia quando não há nós.

28/05/2012 / Geane Aguiar

Enojada. Pessoas ignorantes, bobas e superficiais. Grupinhos fechados, apertados, popularizados. Gente que esquece, finge esquecer ou desmerece você. Estou farta. Dessa cidade, desse bairro e de gente de qualquer parte. Quero me abraçar e evaporar.

14/05/2012 / Geane Aguiar

Tagarelice. Estou pelo avesso. O mesmo ócio. Nuances de liberdade que despertam vontades. A sensação volátil de escandalizar as barbaridades do meu esgotamento. Estou terrível.

07/05/2012 / Geane Aguiar

Os puídos pulmões cobiçam a poeira, que mesmo lépida e longínqua, capota em meio à engasgos, sendo translúcida aos raios. Beleza fatal.

09/04/2012 / Geane Aguiar

Limitei-me com cérebros pequenos. A aspiração desolada se estirou em minha língua. Açoitada, escandalizei e implorei à bravura por glória. Fugi com todas as minúcias, corada de singularidades, deliberadamente despida em camadas. Horripilada. Afrouxada pelo dilúvio. Morta pela penúria de sentimentos, voltei trajada de apatia. Estava ligeiramente apagada.

26/03/2012 / Geane Aguiar

Minha respiração desalinha sem você. A vulgaridade de loucuras passionais, terrivelmente incondicionais, transcende seu amor virgem, e pede à sua vontade que não esvaeça.